Companhias aéreas e 5G

O uso da banda C para 5G levantou questões no mercado da aviação com relação a possível interferência em radioaltímetros de aeronaves. 

Os radioaltímetros são projetados para gerar dados para outros equipamentos de segurança no avião, incluindo instrumentos de navegação, conscientização do terreno e sistemas de prevenção de colisões. Esses dispositivos aviônicos sensíveis podem ser suscetíveis à interferência de RF, criando preocupação de que possam fornecer leituras erradas ou não funcionar. 

Os efeitos da interferência são diversos, variando de operações de várias transportadoras 5G a fronthaul aberto e questões de segurança cibernética.

Uma coisa é certa: a segurança da aviação não pode ser comprometida e todo o risco deve ser diligentemente minimizado.

Detectar. Mitigar. Prevenir.

Para minimizar o risco, os efeitos potenciais da interferência podem ser detectados e mitigados por meio de testes e ajustes da influência das redes 5G nos sistemas RADALT antes da implantação em tempo real.

A VIAVI oferece testbed abrangente para verificação, monitoramento e otimização de sistemas de RF 5G e aviônica, com base em seu histórico de testes de equipamentos sem fio e aviônicos para provedores de serviços de comunicação, companhias aéreas, divisões militares e fabricantes de equipamentos em todo o mundo.

O que é banda C?

Banda C é uma designação do Instituto de Engenheiros Elétricos e Eletrônicos (IEEE) para a parte do espectro eletromagnético usado em comunicações via satélite, rádio de micro-ondas terrestre e outras aplicações do mercado.

A range de frequência de banda C é um componente do espectro de banda média maior que 3,3 a 4,2 GHz, em que as frequências foram redirecionadas especificamente para a faixa sem fio 5G de 3,7 GHz a 3,98 GHz.

Banda C é um termo popular, usado principalmente nos Estados Unidos. Outros países, especialmente na Europa, usam a parte inferior da range de banda média para canais 5G em suas primeiras implementações comerciais, enquanto os EUA recentemente começaram a adotar a parte superior, que é a banda C real (3,7 GHz a 3,98 GHz).

A banda C é um excelente espectro para o 5G, porque fornece um excelente equilíbrio entre largura de banda e cobertura, com a taxa de transferência necessária para permitir use cases específicos do 5G, como banda larga móvel aprimorada (eMBB).

Saiba mais sobre a banda C


Em relação à interferência potencial entre frequências de rádio 5G e altímetros de radar, ela ocorreria em uma banda muito estreita de frequência de rádio, que tecnicamente não faz parte da banda C utilizada pelos provedores de serviços de comunicação. No entanto, há potencial para interferência das bordas dessas bandas.

5g network airlines - interference between radio frequencies and radar altimeters


O que é um radioaltímetro?

O radioaltímetro (RADALT), também chamado de altímetro de radar, usa ondas de rádio para medir a altitude de uma aeronave acima do terreno. A altitude acima do nível do solo (AGL) da aeronave é medida pela transmissão de um beam de energia de radiofrequência (RF) para o solo e pelo recebimento de uma parte dessa energia de volta pela reflexão do terreno ou de outros obstáculos. Além de fornecer dados contínuos de altitude para o cockpit, um radioaltímetro de aeronave é necessário para aterrissagens de instrumentos, sistemas de aviso de proximidade em solo (GPWS) e operações de voo de baixa altitude e baixa visibilidade que são instrumentais para a aviação militar. Os radioaltímetros operam na faixa de 4,2 a 4,4 GHz.

Conheça nosso equipamento de teste de radioaltímetro 


Preocupações com a segurança

A Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) alertou que a nova tecnologia 5G pode interferir em instrumentos como radioaltímetros. Os altímetros de aeronaves operam em frequências de 4,2 a 4,4 GHz e as redes 5G usam frequências na range de 3,7 a 3,98 GHz.

Por que essa é uma grande preocupação somente agora, uma vez que o espectro abaixo de 3,98 GHz já foi usado por serviços ponto a ponto e baseados em satélite sem impacto nos RADALTs?

A diferença hoje está no número e na densidade das estações de transmissão. Os transmissores 5G que usam espectro Banda C estão sendo implantados em mais estações base e em um número maior de equipamentos de usuário, tanto no solo quanto nas superfícies de controle de tráfego aéreo ou ao redor delas. A maior densidade dessas estações base e equipamentos de usuário, bem como sua potência irradiada efetiva e possível proximidade à aeronave, aumentam o risco de interferência com o RADALT de uma aeronave.

Leia o eBook


O ruído entre o 5G e as operações da companhia aérea

A segurança da aviação não pode ser comprometida. Os players do mercado devem separar a teoria da realidade em termos de riscos, especialmente quando se trata da natureza complexa e dinâmica do 5G. Testar e ajustar a influência das redes 5G nos sistemas RADALT antes da implantação ao vivo pode ajudar a detectar e mitigar possíveis interferências.

airlines and 5G network testing and adjusting on RADALT systems
Exemplo de vazamento 5G e verificação falsa com o OneAdvisor 800

 


Testbed VIAVI para companhias aéreas e 5G

A VIAVI estabeleceu um testbed que consiste em:

ALT-9000 Radio Altimeter Test Set
ALT-9000

O ALT-9000 da VIAVI: oferece simulações de altitude com delay real de RF e modelos de path loss para testar qualquer tipo de sistema RADALT, incluindo variantes de baixa probabilidade de interceptação (LPI), altímetro de radar de altitude combinado (CARA) e última geração. O ALT-9000 é fundamental para permitir procedimentos de teste e fluxos de trabalho rigorosos para avaliar e monitorar a vulnerabilidade RADALT para qualquer possível interferência 5G.


OneAdvisor 800

O OneAdvisor 800 da VIAVI: com análise de espectro em tempo real para a range de frequência de banda C 5G com gráfico de espectrograma 2D e 3D, o OneAdvisor 800 monitora e detecta vazamento de canal e interferência de frequência, bem como emissões falas que podem afetar as operações da RADALT.


Ranger

O Ranger da VIAVI: para gravação de banda larga e reprodução de ambientes de sinal de RF. O Ranger registra sinais 5G do mundo real e os reproduz em dispositivos RADALT durante testes para simular a interferência de banda C 5G. Quando usado com o ALT-9000 e o OneAdvisor 800, o Ranger permite testes avançados em condições do mundo real.